segunda-feira, 14 de julho de 2008

SIMPLICIDADE

"E na simplicidade há horas de luta e esforço, horas nas quais nos desesperamos
de jamais ter nossos estilos de vida em que sentimos que deveriam estar, horas
nas quais pensamos se nossas vidas jamais terão inteireza." (FOSTER, Richard.
Celebração da Simplicidade)



Por horas sinto o desespero descrito pelo autor citado. Tenho vivido coisas tão simples. Simples, não simplistas. Coisas simples de uma complexidade enorme. E há tanta luta e esforço para realizar essas coisas simples, e os resultados são mais simples ainda, talvez quase imperceptíveis. Parece mesmo que a vida não terá inteireza, afinal, nada está sendo feito de muito grande, nada que mereça reconhecimento humano, nada que chame a atenção da imprensa ou que renda muito dinheiro.

Talvez algo maior seja feito para sanar este sentimento, mas quero poder continuar a fazer coisas simples. Simples como estes palhaços feitos de sucata pelas crianças, com sua simplicidade alegraram nossa tarde. E a garotinha que chegou chorando, desesperada com um problema que era grande para ela, pode sorrir mesmo com toda a simplicidade do palhaço de sucata.