segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Um texto sem pé nem cabeça

Estava com vontade de escrever, mas escrever sobre o que?

Bom, poderia escrever sobre a reportagem sobre a vida luxuosa de ricaços que assisti ontem e me deixou indignada. Mais uma vez indignada, pois nunca entendi e espero nunca conseguir entender como alguns podem ter vidas tão supérfluas e gastar tanto dinheiro com caprichos enquanto outras pessoas (no mesmo planeta, no mesmo país, na mesma cidade e até no mesmo bairro!) não tem onde dormir, o que vestir e o que comer. Os 899 mil da Ferrari vermelha de cinema poderiam mudar a vida de quantas famílias? Os 45 mil que custa um par de brincos mesmo com o desconto de 10% ainda poderiam tirar da miséria algumas vidas. Os 500,00 gastos em ofurô para uma pequena pincher relaxar do seu estresse são o mesmo valor que muitos trabalhadores ganham ao final do mês. Há! E o valor de um patezinho para essa mesma pincher, 70,00, poderiam fazer a tranquilidade pelo menos por uns dias de uma mãe que não tem dinheiro para c
omprar comida para seus filhos.

Poderia falar também sobre viver um grande amor. Essa expressão parece tão banalizada, tão "noveleira", mas tenho provado que não é uma balela comercial de dia dos namorados. Dias atrás falei ao meu marido que o amava tanto que era estranho, afinal nem nascemos juntos! E agora não conseguimos imaginar nossas vidas um sem o outro. Somos um no sentido mais profundo da singularidade. Se ele está feliz, eu também estou. Se eu estou triste, ele faz de tudo pra me alegrar. Sonhamos juntos, planejamos juntos, vivemos tudo muito juntos! Tiram sarro por eu fazer janta de vez em quando para agradá-lo, mas acordar todos os dias com beijos carinhosos também não é para qualquer esposa. O casamento é feito de pequenas atitudes diárias e depende de nós definirmos se essas atitudes durarão um ano, dois anos, ou até que a morte nos separe.

Apesar dos dois temas anteriores descreverem um pouco sobre mim, poderia falar mais a meu respeito mesmo. Melhor falar de mim do que dos outros, certo? Afinal não gosto de fofocas, de burburinhos, de excesso de assuntos supérfluos. Um pouquinho todo mundo gosta e acho que até faz bem. É como assistir novela sabendo que nada te acrescentará, mas naquele momento você não quer pensar em nada mais. Penso que é melhor ficar quieta a simplesmente preencher o silêncio contando vantagens e procurando se colocar acima de alguém. Consumismos desmedidos e absurdos estéticos me repelem. Sim, sou mesmo fora dos padrões em diversos aspectos. Mas não procuro entrar na forma não, na verdade estou preocupada em me manter fora dela! Quero mais é ser autentica, ter minha família sempre por perto, ter uma vida simples, repleta de amor e de amigos, de momentos felizes!


E para finalizar este texto sem pé nem cabeça, duas frases de Richard Foster, do livro A liberdade da simplicidade – encontrando harmonia num mundo complexo.


“A paixão pelos bens materiais infestou a cultura contemporânea”. p.19


“Escravizar-se à opinião alheia tem sido em grande escala a fonte da hipocrisia que domina a sociedade atual”. p.31

sábado, 19 de junho de 2010

VIDA

Quando criei este blog o chamei de Oficina da Transformação por causa da oficina que eu mantinha na ONG Casa da Videira, onde materiais desprezíveis viravam brinquedos e objetos de decoração pelas mãos de crianças e também pelas minhas. Mas a cada dia percebo que a vida é que é uma oficina de transformações, e ministrada, dirigida, orientada por um Deus mais que criativo.

Dias atrás ouvi um podcast sobre profissionais de internet se exporem na internet. Não é o meu desejo contar cada detalhe da minha vida, mas fico feliz em compartilhar acontecimentos simples e preciosos, inesperados, questionamentos, reflexões, conquistas... coisas únicas da vida de todo mundo.

Quando no ano passado, eu e meu então noivo planejávamos nosso casamento, sabíamos que 2010 prometia. Mas como a maioria das coisas da vida, só conhecíamos um esboço do final. E olha que ainda só estamos no meio de 2010.

Os três primeiros meses do ano demoraram a passar. Dia 10/04/2010 foi o dia mais especial das nossas vidas. O nosso casamento foi simples e lindo, exatamente como sonhamos. Tivemos a ajuda e a companhia de vários amigos queridos, os quais fizeram a festa ser completa. Bem, a nossa lua de mel resumo em uma palavra: perfeita.

Maio foi um mês de adaptações. Horários, rotina, costumes se entrelaçando... E durante estes 5 primeiros meses de 2010 trabalhei bastante, aprendi muito. Foram contatos, sites, atualizações de sites, artes gráficas, tutoriais, podcasts... Tanto que nem atualizar o blog consegui. Não reclamo. Gosto de estar ocupada. Mas gostaria de poder fazer mais coisas em menos tempo. Afinal, descansar, passear, viajar, estar com amigos também é muito bom!

E esta semana surge algo completamente inesperado – um e-mail questionando o meu interesse em assumir um cargo público referente a um concurso que prestei em meados do ano passado. Eu já havia virado esta página da minha vida, estava empolgada trabalhando como freelancer fulltime. Foram momentos de decisão, abrir mão da autonomia por alguma segurança. E agora estou na expectativa, grande expectativa para conhecer a próxima página que Deus já tem planejada e que eu só posso imaginar o esboço.


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

O que é Google AdWords e como ele pode ajudar minha empresa?

O Google AdWords é um dos produtos oferecidos elo Google e tem realizado revoluções muito positivas em empresas de todos os tamanhos. Para criar sua conta no AdWords basta acessá-lo e seguir os passos. A inscrição custa apenas R$20,00 e o investimento nas campanhas de publicidade não tem valor mínimo. Por isso o AdWords tem sido explorado por empresas bem pequenas, por profissionais liberais, até multinacionais. Basta ter um site, vontade de expandir seus negócios e um pequeno investimento se comparado aos resultados.

Ao anunciar no AdWords e cadastrar palavras chave relacionadas ao seu negócio, os seus anúncios aparecerão no topo da página ou na coluna do lado direito das buscas do Google. Ou seja, o seu anúncio aparecerá somente para quem realmente está te procurando. E o melhor é que o anunciante só paga se o usuário entrar no seu site.

A plataforma que o Google AdWords disponibiliza para o desenvolvimento das campanhas e para a mensuração de resultados tem aparência simples mas uma complexa rede de ferramentas. Podemos utilizar, por exemplo, o AdWords junto com o Analytics para saber o efetivo aumento no tráfego do site. No AdWords podemos definir onde queremos que nossos anúncios apareçam – apenas para os usuários do bairro da sua empresa, para uma cidade inteira ou parte dela, para determinados países e assim por diante. Podemos cadastrar palavras chave negativas a fim de que os usuários não nos encontrem com elas. Por exemplo, se sua empresa oferece cursos, mas nenhum deles é gratuito, podemos cadastrar “curso gratuito” como uma palavra/expressão negativa. Assim evitamos o desperdício de cliques – entenda-se desperdício de dinheiro. O próprio Google disponibiliza um Centro de Aprendizagem no AdWords para quem quer estudá-lo.

Resumo das vantagens de anunciar no Google AdWords:

- No Google Adwords o seu anúncio só aparece para o usuário quando este procurar especificamente pelo produto ou serviço anunciado;
- O seu anúncio aparecerá no topo das buscas do Google;
- O anunciante só paga quando o usuário acessar o seu site e não quando o anúncio for publicado no Google;
- A plataforma do AdWords permite uma mensuração diária de resultados por palavra-chave;
- O anunciante escolhe o valor que deseja investir mensalmente em anúncios no Google Adwords;


Conheça alguns casos de empresas que investem no AdWords:

- O site http://www.barretesao.com.br/ investe cerca de R$500,00 por mês no AdWords e estima que a porcentagem de clientes vindos por meio dos links patrocinados é de 20%.
- O site http://www.sgcsistemas.com.br/ tem um investimento mensal de R$200,00no Google AdWords e tem um excelente retorno sobre o capital. Não tem números exatos, mas, segundo Cláudio Xavier, o retorno é muito bom.
- O site http://www.cuidamosdasuasaude.com.br/ investe R$2.000 em links patrocinados mensalmente, estima que 75% de seus clientes venham por meio dessa mídia e seu retorno sobre o investimento é de R$4.000, ou seja, 100%.
- Na Brandão Móveis para escritório, empresa familiar de São Paulo, o faturamento deu um salto de 200% em dois anos.”

(ADOLPHO VAZ, Conrado. Google Marketing - O guia definitivo de marketing digital, Novatec Editora. São Paulo, 2008. p.140 e 141)

“Uma propaganda barata, acessível e que traz excelentes resultados.”
Conrado Adolpho Vaz - Diretor da Publiweb


sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Reflexão Feminina acerca de ensinamentos de Paulo

Dois textos estabeleceram links na janela da minha reflexão esta semana. Sim, imaginem uma testa franzida e um ponto de interrogação (ou vários) dentro de um balãozinho sobre a minha cabeça. São eles: 1 Timóteo 2:9-15 e 1 Pedro 3:1-7. Sugiro que os leiam antes de prosseguirem no meu texto, do contrário posso parecer uma questionadora feminista – e não é esta a idéia.

Sempre li estas passagens com o pensamento de que são ordens para o contexto em que Paulo vivia, mas o Novo Testamento tem muito que deve ser aplicado hoje e não é questão de contexto não. Então questiono qual o limite para o que se aplicou para as mulheres daquela época e o que se aplica hoje. Afinal, qual a mulher que nunca “adornou-se” com tranças e brincos de ouro mesmo que desprovida de qualquer intenção maliciosa? Estariam todas as mulheres que ensinam nas igrejas – pastoras, professoras de escolas dominicais, missionárias – desagradando a Deus? Paulo não “permite que a mulher ensine”...

Somos, nós mulheres, “co-herdeiras do dom da graça da vida” porque Eva foi a transgressora na história? Ou por que primeiro foi formado Adão e depois Eva? Paulo também cita que a mulher será salva dando a luz filhos. Mas hoje tantas crianças são geradas de forma tão irresponsável... Seria a mulher submissa e quieta, aquela que não usa pérolas e roupas caras, que ao dar a luz filhos seria salva? Ou todas?

Que a maior beleza das mulheres deve estar no seu interior não tenho dúvida, mas que ela não possa estar no seu exterior também... Não sei. Exageros na academia de ginástica, dietas absurdas, cirurgias plásticas desnecessárias, roupas e jóias com preços exorbitantes, acredito que são práticas que realmente não combinam com uma mulher dedicada a Deus. Mas alguns cuidados que despertem sua feminilidade, que façam bem para sua auto-estima, que agradem ao seu marido, com uma alta medida de bom senso não acredito desagradarem a um Deus que criou tudo tão minuciosamente, inclusive as mulheres.


quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Igreja: lugar, momento ou estilo de vida?


Após um longo tempo sem escrever no blog “Oficina da Transformação” certamente tenho muitas transformações para contar. Sem dúvida a melhor delas é a de que noivei e brevemente estarei casada com o grande amor da minha vida!

Nesse tempo minha bagagem também ficou mais pesada. Cada trabalho é um desafio e um prazer, aprendizado e suporte financeiro. Agradeço aos amigos que me indicam e aos clientes que confiam! Também resolvi estudar o Google e quanto material bacana eles disponibilizam para quem se dispõe a essa tarefa! Dêem só uma olhadinha nisso: Google Adwords.

Muitas leituras também tem provocado transformações. Dois livros significativos são: “Por que você não quer mais ir à igreja?” e “Cristianismo Pagão”. É interessante demais olhar para atitudes costumeiras, questionar conhecimentos adquiridos como verdadeiros, verificar onde estão as raízes das tradições. É libertador tentar discernir o que é bíblico do que é criação humana.

Há algum tempo estou sem freqüentar regularmente igreja nenhuma. Isto pode ser péssimo para muitos e respeito suas opiniões. A questão é que resolvi viver igreja, ser igreja, buscar um relacionamento pessoal com Deus sem intermediários, estruturas ou modelos. Viver em comunidade ciente da presença constante de Deus.

Amar a Deus e ao próximo torna-se um estilo de vida, aliás, uma vida mais leve e livre.



“Quando o cristianismo nasceu, foi a única religião na terra sem objetos sagrados, pessoas sagradas, espaços sagrados. Mesmo rodeado por sinagogas judaicas e templos pagãos, os primeiros cristãos foram as únicas pessoas religiosas na terra que não edificavam templos sagrados de adoração. A fé Cristã nasceu em casas, fora de pátios, ao longo das margens da estrada, e em salas de estar.
Durante os primeiros três séculos, os cristãos não tiveram edifícios especiais.” (VIOLA, Cristianismo Pagão, p. 47)



“Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração, louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo. E o Senhor lhes acrescentava diariamente os que iam sendo salvos.” Atos 2: 46-47



“Vocês sabem que não deixei de pregar-lhes nada que fosse proveitoso, mas ensinei-lhes tudo publicamente e de casa em casa.” Atos 20: 20
“Saúdem Priscila e Áquila, meus colaboradores em Cristo Jesus. Arriscaram a vida por mim. Sou grato a eles; não apenas eu, mas todas as igrejas dos gentios. Saúdem também a igreja que se reúne na casa deles.” Romanos 16:3-5



“As igrejas da província da Ásia enviam-lhes saudações. Áquila e Priscila os saúdam afetuosamente no Senhor, e também a igreja que se reúne na casa deles.” 1 Coríntios 16:19



“Saúdem os irmãos de Laodicéia, bem como Ninfa e a igreja que se reúne em sua casa.” Colossenses 4:15


“As raízes do ‘sagrado’ edifício da igreja são completamente pagãs. O edifício da igreja foi inventado por um professo ex-pagão dotado de uma mente completamente pagã. Tais edifícios da igreja foram construídos sobre a idéia pagã de que o morto cria um espaço santo. Por favor, lembre-se disto toda vez que você escutar alguém se referir a um edifício como casa ‘santa’ e ‘sagrada’ de Deus.” (VIOLA, Cristianismo Pagão, p. 52)