segunda-feira, 11 de julho de 2011

Comer Rezar Amar

Como estou lendo o romance Comer, Rezar, Amar (A busca de uma mulher por todas as coisas da vida na Itália, na Índia e na Indonésia. Seja também a heroína de sua própria jornada.) da autora Elizabeth Gilbert, loquei o filme de mesmo título dirigido por Ryan Murph e protagonizado por Julia Roberts.

Gosto declaradamente de filmes “água com açúcar”, e este não fica nem um milímetro longe dessa classificação. Assim como a Liz – personagem do filme e mulher real que viveu toda a história – imagino quantas pessoas vivem procurando quase que desesperadamente motivos para viver. O prazer (de comer, de viajar, de não fazer nada...), o amor (entre uma família, entre amigos, entre um homem e uma mulher, o amor por você mesmo) e a espiritualidade (a busca pelo sobrenatural, a busca por Deus) são os elementos abordados na procura por uma vida equilibrada.

Não sei descrever exatamente o que me faz pensar que as pessoas complicam tanto a vida, não precisa ser assim tão difícil. Cada aspecto é digno de ampla literatura, mas se eu pudesse simplificá-los em algumas frases assim eu o faria:

O prazer pode ser vivido na medida do possível e sem exageros. Sonhos gigantescos nos deixam frustrados e nos fazem correr atrás do vento – entenda-se do dinheiro que nos faz ter menos tempo e... Menos prazer. Desfrute das coisas boas e simples da vida todos os dias e realize as maiores na medida do possível.

O amor, se vivido profundamente e sinceramente tem menos chances de dar errado. Contudo, penso que aventuras amorosas e casamentos precipitados contribuem para as estatísticas das relações destroçadas. Mas sim, concordo, o amor é complexo.

E o caminho para encontrar Deus é um só: “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” (João 14,6). As demais orientações estão todas na Bíblia, disponíveis para quem quiser conhecer a Verdade.

Mas para quem quiser complicar, o mundo oferece inúmeras possibilidades – cada uma com seus ônus e bônus.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Milagre da vida

Nada melhor do que reativar este blog com a notícia de um nascimento!

Que coisa mais maravilhosa é ver uma vidinha de 3,520g e 49,5cm vindo ao mundo!
Sim, estou maravilhada com o nascimento do meu sobrinho que chegou hoje, nessa típica manhã gelada de Curitiba.


Não precisou nem de um tapinha na bunda, saiu do confortável ventre da mãe anunciando sua chegada

Tão perfeitinho... bracinhos e perninhas esticam e encolhem começando a explorar o mundo

Seus olhinhos sequer suportam a claridade do sol que depois de dias surgiu para recebê-lo

O primeiro olhar da mãe foi acompanhado por um lindo sorriso

O pai, bobo, sem saber se filmava, se pegava o filho no colo, se falava com a família...

E a família, toda na expectativa do pequenino!

Obrigada pelo presente!


Seja bem vindo Lucas!!!