terça-feira, 15 de novembro de 2011

Bolinhas de Natal



Nunca gostei de ir ao cemitério, nem em velórios e muito menos no feriado de finados - quando muitos se aglomeram para levar flores, limpar túmulos e relembrar. Mas este foi particularmente especial.

Dizem que somos um casal perfeito. E eu concordo plenamente! Este será nosso primeiro Natal na nossa casa. Há alguns dias estamos fazendo bolinhas de isopor revestidas com tecido para decorar nossa primeira árvore de Natal. O dia 2 de novembro estava sendo um feriado como outro qualquer... livre de trabalho, almoço em família, produção de bolinhas em família também. Chegamos em casa a noite e não resistimos! Fomos montar a árvore de Natal!

Encaixamos as partes, esticamos os galhos pra lá e pra cá, colocamos o

pisca-pisca e começamos a pendurar as bolinhas. Foi quando sutilmente lembranças com

eçaram a tomar conta de mim. Pude lembrar da textura dos galhos da árvore que eu montava todos os anos na casa dos meus avós. Eram muitas bolas vermelhas e brilhantes! Por serem tão frágeis, todos os Natais algumas quebravam e eram repostas. Lembrei também que minha vó sempre comprava algumas caixas de papais-noéis de chocolate, daqueles bem pequenos para serem pendurados também. Foi impossível conter as lágrimas, e então, aninhada no colo do meu marido, fui lhe contando como eram os Natais quando eu era criança.

Relembrar momentos tão especiais, vividos com pessoas que já partiram, foi como achar a chave de um pequeno tesouro que estava muito bem guardado. E por coincidência, era dia de finados.